Pesquisar este blog

segunda-feira, 2 de abril de 2012

Sacerdotes

A marca era vagabunda, mas o que importava era o torpor
O momento exato do desligar da mente, do mundo...
De um universo irreal disfarçado de existencial
In loco, mas completamente ausente

O efeito atordoante modela um comportamento elegante
De poder e controle, como um sábio ancião
Transborda conhecimento pelas conversas soltas e sofisticadas

Um artista da oratória, um conquistador da retórica e persuasão
Tendo em sua eloquência à compreensão de todos...
Mesmo com uma subjetiva plateia
Criada por ele ou por um comum interesse transcendental

As mentes enevoadas concluem-se simultaneamente
Poderosos profetas, juízes e filósofos
Construtores de ideologias sociais

Com interesses mundanos pessoais
Conservam uma exuberância imoral 
Com experiência surreal
De bares matinais.

(Crimson)

3 comentários:

  1. a topor ou o torpor?

    ResponderExcluir
  2. O torpor! rsrs é o que ocorre quando se posta de madrugada sem revisar! Obrigado

    ResponderExcluir
  3. Esses sacerdotes seriam os padres? muito criativo, adorei o 4º parágrafo...

    ResponderExcluir