Pesquisar este blog

quarta-feira, 4 de agosto de 2010

O Namoro

A Conquista

O encontro dos olhares, o momento inoportuno e inesperado.
O calafrio lento devido o choque das moléculas concluindo a reação química em que a atração se completa!
É a paixão! Momento indescritível em que o individuo, jovem, velho indiferente de idade sexo ou qualquer outra coisa, se encontra de front para o grande Big Bang das emoções humanas. Nada é tão forte, belo e cruel do que a paixão!
O jogo da sedução com empolgação e entusiasmo transforma o indivíduo no maior, melhor, mais bonito e inteligente da face da terra (ao menos em sua mente, quimicamente alterada pela atração e paixão).
Ah! A conquista. O jeito, as palavras, as brincadeiras, os olhares a pele... Tudo se completa, a reação de dois seres que buscam o afago gratificante da compreensão e do desejo do outrem!

Tudo isso em horas no balcão do bar, em uma tarde de domingo pós o dia dos namorados! O solteiro freguês e a linda garçonete...

O Romance

Terminada a fase de maravilhas entusiásticas da conquista, o individuo parte para o romance. Fase em que começa a política do compromisso, o individuo começa a ceder, faz concessões, tudo para agradar o outrem, ou melhor, a si mesmo, pois na política do compromisso segue a Lei de Hamurabi! “Em que aqui se faz aqui se paga!” Ou seja, tudo para ganhar sua grande e honorável recompensa!

... Após a conquista no bar, o Freguês começa a buscar a jovem senhorita no fim do expediente, levando até seu ponto de ônibus (Não, o individuo, não possui umas das principais armas do conquistador... O automóvel!!). Papos furtivos, conversas agradáveis, sorrisos, gargalhadas... Ow! Droga! O ônibus chegou e ele não teve tempo de ganhar sua recompensa! O entusiasmo pode ser um grande vilão nesse jogo!


O Rompimento

Sim! A paixão avassaladora não dura para sempre, infelizmente ou felizmente, o ser humano não consegue manter relacionamentos amorosos por muito tempo, uma série de fatores condizem com essa inegável realidade! Os elementos da química da paixão gastam-se rápido, e sempre precisam ser substituídos, nesse caso quase sempre aparece outro com mais nutrientes químicos e acabam separando essa reação tão complexa e frágil. Criando outras reações complexas.
Mas não é só isso! O desgaste dos elementos faz prevalecer outros elementos que não haviam aparecido no momento da atração. O jeito, as palavras, as brincadeiras, os olhares já não se completam, não interagem, as concessões não são mais aceitas.
É, chegou o momento do fim.

... Ao buscar "sua" linda garçonete e depois de conversas agradáveis e gargalhadas perdidas, o individuo deseja reclamar sua recompensa, ao tentar beijá-la...Chuác! Um beijo no rosto!
 - “Desculpe! não tem nada ver, somos amigos...”


(Crimson)

3 comentários:

  1. e as pessoas ainda falam que a amizade é a melhor coisa que existe...rs

    ResponderExcluir
  2. Q triste esse ultimo texto cara!!
    Não precisa ser tão íntimo da verdade(?)assim... a arte tem o poder da transmutação!! ou Você acha q o Vinícius de Moraes pegava todas aquelas garotas pq?? Pelos seus livros? Vai sonhando....rsrs
    Mudando de assunto, q fôlego é esse para escrever?? Da onde vem tanta inspiração?? Continue assim!!

    Abraços!

    ResponderExcluir
  3. Ow valeu cara! mas esse texto não é intimo da verdade não! apenas uma ficção realista! se é que isso existe. haahu

    bom pretendo continuar com fôlego, mas dei uma paradinha agora! rs

    obrigado

    Abraços

    ResponderExcluir